O engenheiro agrícola projeta, implanta e administra técnicas e equipamentos necessários à produção agrícola. Planeja métodos de armazenagem e constrói silos, armazéns e estufas. Leva ao campo soluções inovadoras e eficazes para melhorar a produção, sem descuidar do desenvolvimento sustentado da agricultura.

Propõe a adoção de medidas que impeçam a erosão e o esgotamento do solo e a poluição de mananciais. Constrói açudes, barragens, sistemas de irrigação e de drenagem. Trabalha no projeto de máquinas e equipamentos agrícolas e se ocupa da mecanização agrícola e da eletrificação rural.

Há boas oportunidades nos setores agropecuário e agroindustrial, para trabalhar em pesquisa, geração e desenvolvimento de sistemas de produção e seus componentes tecnológicos. Atua em todas as etapas do agronegócio, do planejamento da produção à comercialização do produto.

Nos dois primeiros anos, o currículo apresenta disciplinas mais básicas das áreas de exatas e biológicas, como física, química, geologia, biologia e informática. A partir do terceiro ano, o curso passa a tratar de estudos mais ligados diretamente à produção agrícola, como técnicas de planejamento e administração, sistemas de produção animal e vegetal e tecnologias de pós-colheita, irrigação e drenagem.

Em determinados cursos, o currículo ainda abrange temas ambientais, como saneamento básico, tratamento de resíduos e gestão e legislação ambiental. Em algumas faculdades, o estágio supervisionado é obrigatório para a conclusão do curso. Duração média: cinco anos