O profissional de Sistemas de Informação planeja e organiza o processamento, o armazenamento e a recuperação de informações e disponibiliza esse material para usuários. Cria, adapta e instala programas para facilitar as consultas e administra redes de computadores. Nas redes internas das empresas e outras instituições e na internet, monta e gerencia bancos de dados e ainda desenha páginas de sites, que devem ser funcionais e elegantes, trabalho que exige versatilidade e criatividade.

Dois diferenciais podem se tornar um verdadeiro trunfo para uma bela carreira em Sistemas de Informação: o domínio completo do idioma inglês e as certificações profissionais. O inglês é imprescindível na computação por ser a língua universal da informática. As certificações profissionais, obtidas em empresas como Microsoft e Oracle, constituem uma espécie de diploma que atesta que o profissional tem capacidade para lidar com determinada tecnologia. Elas somam muitos pontos na batalha por uma vaga, mesmo antes da graduação.

Armando Terribili, diretor de projetos da Unisys, em São Paulo, empresa multinacional de serviços e soluções de Tecnologia da Informação, adverte: seja qual for a área de especialização, para se dar bem na carreira esse profissional tem de acompanhar o ritmo frenético de avanço do setor.

A exigência básica para quem vai ingressar no curso é gostar muito de matemática. Cálculos e raciocínio lógico acompanham o aluno durante os quatro anos de curso. Entre as matérias específicas, estão linguagem de programação, bancos de dados, sistemas de informação, redes de computadores e inteligência artificial. Estágio e um projeto de conclusão de curso são obrigatórios.

Fique atento na hora de inscrever-se para o vestibular. Algumas faculdades se voltam mais para os aspectos administrativos da profissão, outras, para os de computação.