O terapeuta ocupacional utiliza tecnologias e atividades diversas para promover a autonomia de indivíduos com dificuldade de se integrar na vida social devido a problemas físicos, mentais ou emocionais.

Elabora planos de reabilitação e adaptação social, buscando desenvolver no paciente autoconfiança e orientando-o quanto a seus direitos de cidadão. Atende recém-nascidos, crianças, adultos e idosos, para a promoção, a prevenção e a recuperação de disfunções.

Cria e faz avaliação de atividades físicas, podendo prestar atendimento individual ou em grupos. Trabalha em clínicas, asilos, hospitais, instituições geriátricas, psiquiátricas e penais, centros de saúde, de convivência e de reabilitação, creches e empresas e pode ainda prestar atendimento domiciliar.

O currículo inclui matérias das áreas de biológicas e saúde, como anatomia, fisiologia e biologia, e de formação geral, entre elas psicologia. O objetivo é fazer com que o aluno conheça a estrutura e o funcionamento do corpo e da mente.

Há também disciplinas pré-profissionalizantes, como terapia ocupacional nas áreas de psiquiatria e de deficiência mental e física. Alguns cursos ainda preparam o aluno para realizar o processo terapêutico por meio da expressão artística.

Na maioria das escolas, é no segundo ano que o aluno entra em contato com a parte prática, fazendo estágios de observação. No quarto ano, o estágio de atuação, que é obrigatório, pode ser realizado em hospitais, centros de saúde, asilos, centros de reabilitação e em comunidades.

Duração média: quatro anos.